O que é habite-se? Veja como tirar esse documento e valores

habite-se

Veja no conteúdo

Você sabia que um documento é fundamental para que seu imóvel seja considerado legalmente habitável? Esse documento se chama habite-se e, sem ele, sua casa ou apartamento pode enfrentar diversos problemas legais.

Vamos entender o que é habite-se, como obtê-lo, os custos envolvidos, quem deve pagar, as diferenças para o alvará de obras, e as consequências de não ter esse documento. Continue lendo para entender tudo sobre esse tema crucial para proprietários de imóveis!

O que é habite-se

O habite-se é um documento emitido pela prefeitura que atesta que um imóvel foi construído ou reformado de acordo com todas as normas e regulamentações vigentes. Ele certifica que a edificação está pronta e adequada para ser habitada. Sem ele o imóvel não pode ser ocupado legalmente, vendido ou financiado.

Esse documento é essencial para garantir que a construção atenda aos padrões de segurança, higiene e acessibilidade exigidos pela legislação municipal. Portanto, obter o habite-se é um passo crucial no processo de construção ou reforma de qualquer imóvel.

Como tirar habite-se?

O processo para obter o habite-se pode variar de uma cidade para outra, mas geralmente segue etapas semelhantes. Aqui está um passo a passo simplificado:

  1. Antes de mais nada, a obra precisa estar completamente finalizada. Isso inclui todos os detalhes estruturais, elétricos, hidráulicos, entre outros.
  2. O proprietário ou responsável técnico deve solicitar o habite-se na prefeitura. Isso geralmente é feito no departamento de obras ou planejamento urbano.
  3. Acompanhe a solicitação dos documentos necessários
  4. Após a entrega dos documentos, a prefeitura agenda uma vistoria no local para verificar se tudo está de acordo com os projetos aprovados e normas de segurança.
  5. Se tudo estiver conforme, a prefeitura emite o habite-se, permitindo a ocupação do imóvel.

Documentos necessários para tirar o habite-se

Para solicitar o habite-se, é essencial preparar uma série de documentos que comprovem que a construção ou reforma foi realizada conforme as normas e regulamentações vigentes. A lista exata de documentos pode variar dependendo do município, mas geralmente inclui:

1. Projeto aprovado

É necessário apresentar uma cópia do projeto arquitetônico que foi aprovado pela prefeitura antes do início da construção. Esse projeto deve estar de acordo com todas as exigências técnicas e legais do município.

2. Alvará de construção

O alvará de construção é o documento que autorizou o início da obra. Ele deve estar válido e em conformidade com o projeto aprovado. Esse documento comprova que a construção foi iniciada de forma legal.

3. ART ou RRT

A Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) ou o Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) são documentos emitidos pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) ou pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), respectivamente. Eles atestam a responsabilidade técnica do engenheiro ou arquiteto responsável pela obra.

4. Laudos técnicos

Dependendo do tipo e da localização do imóvel, podem ser necessários diversos laudos técnicos, como:

  • Laudo de vistoria do corpo de bombeiros: atesta que o imóvel atende às normas de segurança contra incêndios.
  • Laudo de vistoria sanitária: certifica que o imóvel cumpre as exigências sanitárias e de higiene.
  • Laudo de acessibilidade: garante que a construção está acessível para pessoas com deficiência, conforme exigido por lei.

5. Certificado de conclusão de obra

Emitido pelo engenheiro ou arquiteto responsável, este certificado declara que a obra foi concluída conforme o projeto aprovado e dentro das normas técnicas e legais.

6. Plantas e documentos complementares

Pode ser necessário apresentar plantas atualizadas do imóvel, incluindo plantas baixas, cortes e fachadas. Além disso, podem ser solicitados documentos complementares específicos do município, como relatórios de vistoria.

7. Comprovante de pagamento das taxas

A maioria das prefeituras cobra uma taxa para a emissão do habite-se. O comprovante de pagamento dessa taxa deve ser apresentado junto com a documentação.

8. Identificação do proprietário

Documentos de identificação do proprietário do imóvel, como RG, CPF e comprovante de endereço, também são exigidos.

9. Outros documentos específicos

Alguns municípios podem exigir documentos adicionais, dependendo das particularidades da construção e das regulamentações locais. É importante verificar junto à prefeitura a lista completa e específica de documentos necessários.

Dicas para a preparação dos documentos

  • Organização: mantenha todos os documentos organizados e em ordem. Isso facilita o processo de solicitação e pode acelerar a emissão do habite-se.
  • Consultoria técnica: consulte o engenheiro ou arquiteto responsável pela obra para garantir que todos os documentos estão corretos e completos.
  • Verificação prévia: antes de solicitar o documento, verifique junto à prefeitura se há algum documento adicional necessário ou se há algum detalhe que precisa ser corrigido.

Qual o preço do habite-se?

O preço para obter o habite-se pode variar bastante dependendo da cidade e do tamanho do imóvel. Em geral, o custo pode incluir taxas administrativas e os custos das vistorias necessárias. Em cidades menores, as taxas podem ser mais baixas, enquanto em grandes centros urbanos, os custos tendem a ser mais elevados.

Além das taxas municipais, também pode haver custos associados à regularização de documentos e laudos exigidos, que são de responsabilidade do proprietário ou responsável pela obra. Em média, o custo total para obter o habite-se pode variar de R$ 1.000 a R$ 5.000, mas é importante verificar os valores específicos junto à prefeitura local.

Confira mais informações sobre quanto custa construir uma casa!

Quem deve pagar?

A responsabilidade pelo pagamento das taxas e custos associados à obtenção do habite-se é do proprietário do imóvel. No caso de imóveis em construção, essa responsabilidade pode ser do construtor ou da incorporadora, conforme estabelecido em contrato. Para reformas, o proprietário atual do imóvel deve arcar com os custos.

É fundamental que esses custos sejam previstos no orçamento da obra para evitar surpresas e garantir que todos os procedimentos sejam cumpridos corretamente.

Qual a diferença entre habite-se e alvará de obras?

O habite-se e o alvará de obras são documentos distintos, cada um com sua função específica no processo de construção:

  • Alvará de obras: é o documento que autoriza o início da construção ou reforma de um imóvel. Ele é emitido pela prefeitura após a aprovação do projeto arquitetônico e a análise de todos os requisitos legais e técnicos.
  • Habite-se: é o documento que autoriza a ocupação do imóvel após a conclusão da obra, certificando que a construção foi realizada de acordo com as normas e regulamentações.

Em resumo, o alvará de obras é necessário para começar a construir, enquanto o habite-se é necessário para ocupar o imóvel.

O que acontece se não tiver habite-se?

A ausência do habite-se pode acarretar diversos problemas e complicações para o proprietário do imóvel:

  • Impossibilidade de legalização: sem esse documento, o imóvel não é considerado legalmente habitável, o que impede sua venda, aluguel ou financiamento por instituições financeiras.
  • Multas e sanções: a prefeitura pode aplicar multas e outras sanções ao proprietário por ocupação irregular.
  • Riscos de segurança: o habite-se garante que o imóvel cumpre com as normas de segurança, então, sem ele, há um maior risco de problemas estruturais e de segurança.
  • Dificuldades na regularização: regularizar um imóvel sem esse documento pode ser um processo demorado e oneroso, exigindo a correção de todas as pendências identificadas pela prefeitura.

Portanto, é essencial obter o habite-se para evitar esses problemas e garantir que seu imóvel esteja completamente regularizado.

Providencie o habite-se da forma correta e aproveite sua casa com tranquilidade

O habite-se é um documento essencial para a legalização e ocupação de qualquer imóvel. Ele certifica que a construção foi realizada de acordo com todas as normas e regulamentações, garantindo a segurança e a legalidade do imóvel.

Obter esse documento envolve um processo que inclui a finalização da obra, a solicitação na prefeitura, a entrega de documentos e a realização de vistorias. Os custos podem variar, mas é responsabilidade do proprietário ou do responsável pela obra arcar com essas despesas.

Entender a importância do habite-se e como obtê-lo é crucial para qualquer proprietário ou construtor. Sem esse documento, o imóvel não pode ser legalmente ocupado, vendido ou financiado, e pode estar sujeito a multas e outras complicações legais.

Portanto, não negligencie essa etapa e assegure-se de que seu imóvel esteja em conformidade com todas as exigências legais.

Não deixe de acompanhar o Blog da Match para mais conteúdos como este!

Paulo Cavalieri

Paulo Cavalieri

Redator apaixonado por música e em constante busca por novos desafios. Com SEO, aprendo algo novo todos os dias e fico feliz em poder compartilhar esse conhecimento por meio dos meus textos!

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Posts Recentes

Cadastre-se para receber todas as novidades do mercado imobiliário

Conecte-se a seu imóvel ideal e tenha a expertise de marketing como sua aliada para ter o match perfeito com o que realmente importa no mercado imobiliário. 

 

Basta preencher seu e-mail.

Match Imob 2021 © todos direitos reservados